terça-feira, 26 de maio de 2015

Golfinhos e Tubarões: O outro mundo

Uma história mágica e inesquecível


Golfinhos e Tubarões: O outro mundo - Tais Cortez - 419 páginas - 2013 - Chiado Editora

os cinco anos, Victoria foi adotada por Ana, presidente de uma indústria de cosméticos, e Greg, um bem-sucedido advogado. Ela não entende por que não se lembra dos verdadeiros pais e não acredita na suposta causa da morte deles.
Ao completar quinze anos, estranhas mudanças começam a acontecer. Seus cabelos ruivos escurecem, ela se torna cada vez mais forte e rápida, seus sentidos ficam aguçados e alguns dos seus sonhos passam a ser premonições.
Após a visita de um casal peculiar, ela é levada para um mundo desconhecido e único, onde terá que aprender a controlar suas habilidades, freqüentando aulas diferentes de tudo o que já viu.
Lá ela conhece Alex. A atração entre os dois é imediata, mas ele se recusa a se aproximar de Victoria e de qualquer outro aluno. Ainda assim, o destino se encarrega de uni-los e Alex passa a protegê-la e ajudá-la.
O que Victoria não sabe é que ele esconde um segredo que mudará sua vida, e que o passado pode estar mais perto do que eles imaginam...

sábado, 23 de maio de 2015

Batman: Pequena Gotham

Provando que Batman também pode ser fofinho!



Uma pequena grande aventura!
A luta contra o crime e a risada andam juntas em Gotham com Batman, Robin, Asa Noturna, Mulher-Gato, Senhor Frio, Pinguim, Coriga, Arlequina, Hera-Venenosa e mais! 

terça-feira, 19 de maio de 2015

Conhecendo o mercado nacional de mangás - Maio 2015

Guenta coração!



Esse mês temos um empate com relação ao mês anterior, com 32 títulos no formulário, sendo 1 da editora Nova Sampa,  1 da editora Abril, 1 da editora NewPOP, 1 do selo Astral Comics, 15 da editora Panini e 13 da editora JBC. Claro, dentre os títulos as novidades, que serão anunciadas a seguir

domingo, 17 de maio de 2015

15º Book Tour de Golfinhos e Tubarões - O outro mundo de Tais Cortez

Livro vem, livro vai



Tecnicamente é com essa ideia que funciona um Book Tour. Como todos sabem, a literatura brasileira vem aos poucos conseguindo um espaço pouquíssimo significativo nos últimos anos e os blogueiros são uma peça essencial para isso. Contudo, alguns livros (especialmente os bons nacionais) são desconhecidos da maioria do público leitor, seja pela falta ou pequena divulgação, seja pelas livrarias, que ao invés de ceder espaço para o que temos de melhor, prefere nos encher com todos os tipos de best-seller do The New York Times, ou o que mais acontece, seu custo (que na maioria dos casos são altíssimos).

Para quem não sabe, o Book Tour funciona exatamente o que a frase venha a significar: um único livro viaja para a casa de vários blogueiros. Assim, cada um tem a oportunidade de ler e depois envia para o próximo da fila. É uma maneira bacana e extremamente barata para que o autor divulgue sua obra no meio bloguístico e assim passe a ser um pouco mais conhecido entre os leitores, sem contar a interação entre autor e leitor. Ao final da turnê, o livro é sorteado entre os participantes (então, boa sorte para mim).

Eu tive a grande honra de ter sido convidada pela autora Tais Cortez à participar do 15º Book Tour de Golfinhs e Tubarões, que deverá ser lido dentro de um prazo de 15 dias a partir do recebimento do livro (06/05), então daqui uns dias vocês provavelmente verão a resenha desta obra por aqui.

Conhecendo a obra:

Edição: 1
Ano: 2013
Editora: Chiado Editora
Páginas: 419
Formato: Impresso
Gênero: Literatura Juvenil

Aos cinco anos, Victoria foi adotada por Ana, presidente de uma indústria de cosméticos, e Greg, um bem-sucedido advogado. Ela não entende por que não se lembra dos verdadeiros pais e não acredita na suposta causa da morte deles.
Ao completar quinze anos, estranhas mudanças começam a acontecer. Seus cabelos ruivos escurecem, ela se torna cada vez mais forte e rápida, seus sentidos ficam aguçados e alguns dos seus sonhos passam a ser premonições.
Após a visita de um casal peculiar, ela é levada para um mundo desconhecido e único, onde terá que aprender a controlar suas habilidades, freqüentando aulas diferentes de tudo o que já viu.
Lá ela conhece Alex. A atração entre os dois é imediata, mas ele se recusa a se aproximar de Victoria e de qualquer outro aluno. Ainda assim, o destino se encarrega de uni-los e Alex passa a protegê-la e ajudá-la.
O que Victoria não sabe é que ele esconde um segredo que mudará sua vida, e que o passado pode estar mais perto do que eles imaginam...

Conhecendo um pouco a autora:

Quem é Tais Cortez?

Nasceu em Campinas, interior de São Paulo.
Formou-se em Relações Internacionais e fez bidiplomação em Economia na FACAMP.

Fascinada desde criança por histórias de romance, mistério e poderes sobrenaturais, foi natural que, propondo a si mesmas escrever o livro que gostaria de ler, esses elementos estivessem presentes em sua primeira obra, "Golfinhos e Tubarões - O Outro Mundo", lançada em agosto de 2013 pela editora Chiado e vendida pela livraria Cultura.

Em dezembro desse mesmo ano, lançou seu segundo livro em E-book pela Amazon: "O último homem do mundo", uma deliciosa comédia romântica. Durante o período de 5 dias o livro esteve em promoção para ser baixado gratuitamente, alcançando a primeira posição no ranking dos 100 mais baixados grátis.

A autora, Tais Cortez foi a responsável pelo 15º Book Tour e sou imensamente grata a ela por poder estar participação desta edição. Eu poderia utilizar o espaço e fazer um Li até a página 100 e... mas eu já passei dessa parte faz um tempinho....

Em breve trago à vocês a resenha do livro. Não percam!

terça-feira, 12 de maio de 2015

A 5ª Onda

A quinta onda está começando


A 5ª Onda - Rick Yancey - 368 páginas - 2013 - Fundamento

Depois da primeira onda, só restou a escuridão
Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram
Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram
Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém.
Agora A QUINTA ONDA está começando...
Cassie está sozinha, fugindo dos Outros. Ela vive em uma Terra devastada, onde qualquer pessoa, até mesmo uma criança, pode ser o inimigo. Um inimigo que parece humano, que espreita em todos os lugares, pronto para aniquilar os últimos sobreviventes. Permanecer sozinha é permanecer viva - Cassie acredita nisso até encontrar Evan Walker. Mas será que ela pode confiar nele? Será que ele pode ajudá-la a resgatar o irmão?
Chegou o momento que Cassie deve escolher entre a esperança ou o desespero, entre a vida ou a morte. Entre desistir ou lutar!

domingo, 3 de maio de 2015

Primeiro Post! versão 6 anos de Naty in Wonderland

Olá!!

Comecei com o blog no dia 03 de maio de 2009. Pelas contas, eu tenho 6 anos de blog. Eu não, o endereço naty-land.blogspot.com.br me pertence (tecnicamente) há todo esse tempo. Para me pertencer mesmo eu teria que comprar um domínio. Mas sabe como que é né? Eu não tenho retorno financeiro com o blog. Eu até queria. Quem não queria ganhar dinheiro com um hobby? Mas daí, o hobby viraria trabalho, e como o Seu Madruga disse uma vez (e eu concordo com ele), "trabalho não é ruim, o ruim é ter que trabalhar".


O Naty in Wonderland é algo bastante pessoal. Foi o lugar que escolhi para poder falar sobre tudo o que eu gosto. E olha, os gostos mudam (e a qualidade também). O que era um blog só de anime e afins tornou-se um blog de bastante afins. 

São resenhas de livros, que vieram como quem não querem nada (algumas bem ruinzinhas, outras nem tanto, teve até resenha de trabalho escolar postado aqui de uma maneira bem louca) e hoje parecem que querem dominar o espaço (tenho três pendentes já rascunhadas e outra a rascunhar). Consequentemente, os outros assuntos foram sendo esquecidos (como eu disse, os gostos mudam). 

Animes de vez em quando (e olha que estou para terminar Shingatsu wa Kimi no Uso a um bom tempo, e mais outro bom e longo tempo para organizar as ideias. Sorte eu ter algumas anotações). 

Mangás ainda são comentados, embora eu tenha dado uma diminuída. O salário continua o mesmo, mas o dólar não. E nem as contas. Tem pessoas que tem medo da escuridão. Hoje, eu tenho medo da luz.

Filmes, bem, sabe as resenhas de livros no começo? Estão quase no mesmo nível. Passar dois ou até um mês sem comentar nada sobre a sétima arte não é bom para a qualidade. É ela quem sofre no final de tudo, e sim o culpado é o ingresso ser caro. 

Música então, eu até tentei. Mas é extremamente difícil escrever sobre algo que pode ser ouvido, em outra língua, sem conseguir tirar nada dela. Eu deveria me focar em algo brasileiro. Acredite, já pensei no assunto e já mexi nas ideias, mas nem uma anotação sequer. Não que não haverá mais posts, só que eles são muito esporádicos.

Quadrinhos estão começando a ganhar espaço. Peraí, sempre teve! Mangá é quadrinho, assim como anime é desenho (e lá vem os mimimis). Quando digo quadrinhos, digo aqueles que não tem olhos grandes e sequer são fofinhos (claro, existem exceções). Variar faz bem, e minha aquisições no ramo estão crescendo (olá encadernados de Star Wars, Demolidor e em breve Arlequina). Lembram-se do salário? Pois é, ele continua o mesmo. É preciso balancear nessas horas. E sabe qual a melhor? Está valendo a pena!

Estou conseguindo me expressar hoje melhor do que a 1, 2, 3, 4, 5, 6 anos atrás. Não precisa de tanto. Basta um ano atrás. Tem texto (e não precisa ser os mais antigos assim) que eu me sinto envergonhada de tê-los escrito. Deletar. Só que não. Faz parte do aprendizado. Infelizmente a vida é assim. Você não pode simplesmente deletar algo que te envergonha hoje (e olha, tem coisas que são vergonhosas mesmo). Por que com o blog seria diferente? Ele não é pessoal? Tão pessoal que já faz parte da minha vida. Não importa o quê, sempre que assisto a algo, que leio, meu primeiro pensamento é: precisa ir pro blog. Alguns vão, outros não. É a vida! Como eu disse acima, eu até queria um retorno financeiro. Mas eu não tenho coragem de pagar o preço. Ter vida social é bom, mesmo que cansa. Traz boas lembranças e me mostra que estou aproveitando a única vida que tenho. Já até cogitei de fazer um blog para cada assunto, mas como eu administraria? Um só já me da trabalho quem me dirá dois, três... Sou uma colaboradora fantasma de um site aí. Daqui a pouco me demitem. Já tenho ideia para um possível post, mas cadê a vontade?

O blog conta hoje com 565 posts. Pouco? Muito? Talvez. Tem postagens que bombam de visualizações, eu fico feliz, mas não sei se todos gostaram. Alguns tem mais visualizações que comentários, ou somente visualizações ao invés de comentários. Outros são o contrário. Vejo que gostaram pelos números. É difícil saber se gostam ou não só pelos números (e alguns são inexistentes). Os comentários alimenta o blog, o monstrinho ali em cima está para me lembrar disso. Acho que pelos números de comentários, 1895 (em 565 posts) o Naty in Wonderland deve estar com o peso ideal. Não sei, nunca fui boa de matemática (por isso eu pretendo cursar algo na área de humanas).

In Wonderland. Já cansei de explicar a origem do nome. Já pensei em mudar (mais cadê a coragem?), e cadê a inspiração? Tem dias que ela bate a minha porta como uma amiga que mora logo ali. Outros, ela nem vem me visitar. Um cara chamado bloqueio prefere fazer isso. E ele é um acompanhante. A canseira é uma pessoa chata. Ela aparece e ainda chama outros (olá Preguiça). Claro, infelizmente, minhas aquisições não se pagam sozinha. E por mais que seja um blog, um único blog, fica difícil administrá-lo sozinha. Já tentei um colaborador. Era intrometido, postava quando queria e às vezes não avisava. Do mesmo jeito, sumiu. Logo, eu o fiz sumir (pelo menos daqui). Os textos (que era para ter sido enviados a ele num passado não tão longe), ainda estão aqui, como rascunho. Não usarei, não fui eu que escrevi. Um dia eu devolvo os textos, quando a tal preguiça me deixar em paz. A preguiça é a vilã (ou seria a mocinha?) de todos os Sete Pecados, porque ela te deixa incapaz de cometer os outros seis (embora as vezes eu os cometa mesmo assim).

Sempre que meu blog faz aniversário, eu dou uma olhada no primeiro texto. Já falei e vou repetir. De todos os textos escritos ele é o mais curto que eu já escrevi em seis anos de blog. Eu sei que tem gente que não lê o que escrevo porque escrevo muito (já me falaram isso). Consequência sabe? Eu falo muito, logo, eu escreverei muito. Li que quando lemos, para o nosso cérebro é o mesmo que falar sozinho. E o blog não faz esse papel? Ao invés de eu falar sozinha em casa (o que eu eu faço e muito), eu coloco num papel e depois coloco aqui (é, sou das antigas). Consigo me organizar melhor e sabe o que é mais legal? Eu não desaprendo a escrever!

Espero sinceramente ainda conseguir me expressar e que vocês consigam (do fundo do meu coração, fígado, rim) me entender. Parece que anda mais difícil fazer isso ultimamente (descobri que só tenho tempo para trabalhar). E que, apesar de tentar conhecer algo, estou longe de ser a especialista no assunto (quem sabe um dia?). Eu erro e adoro (é sério) ser corrigida através dos comentários. Os textos não são somente para mim, mas para quem (você) perde aquele tempo (ocioso na internet) lendo o que eu escrevo aqui.


Esse post foi um remake do Primeiro post! postado (vejam só) no domingo, dia 3 de maio de 2009, (exatamente as 15:19),

sexta-feira, 1 de maio de 2015

A Garota das Cicatrizes de Fogo

I Dare You - Desafio Especial: Literatura Nacional


A Garota das Cicatrizes de Fogo - Ricardo Ragazzo - 255 páginas - 2013 - Novo Século

Quatro anos após o desaparecimento da filha e a misteriosa morte da esposa, Johnny Falco recebe uma pista que pode ajudá-lo a desvendar o caso. Um homem aparece morto com as mesmas características inexplicáveis de sua mulher: O CORPO NÃO PASSA DE UM ESQUELETO COM PELE.
Seis anos após ter oitenta por cento de seu corpo queimado em um atentado, Lisa Gomez acorda em um hospital com uma incontestável diferença: TODAS AS CICATRIZES DE SEU CORPO DESAPARECERAM!
E quando o destino dos dois se cruzar na pequena cidade de Valparaíso, ambos descobrirão que as tragédias que cercam suas vidas estão muito mais interligadas do que poderiam imaginar.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...